segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Reflexões sobre um mundo sem Deus

Há alguns dias atrás, eu fiz algo que os cristãos costumam chamar de "pecado". Não vou dizer especificamente o que foi que eu fiz, mas basta saber que é algo que podemos saber que Deus não aprova e que fiquei com a consciência muito abalada por isso. Foi interessante porque, como eu já lido com ateísmo na internet há alguns anos, me veio um certo pensamento à mente: por um instante, eu desejei que Deus não existisse, só para que eu não fosse consumido pela culpa de ter desagradado a Ele.

Depois desse pensamento, muitas coisas se esclareceram em minha cabeça. Sabe, agora eu sei como alguns ateus se sentem. Eu acho que ninguém consegue suportar a culpa, a dor e a responsabilidade de seus erros por si mesmos. A solução mais fácil e rápida destes casos é simples fingir que essa culpa não existe. Todas as pessoas sentem isso, mesmo que muitas delas não saibam exatamente do que se trata, e a nossa tendência é fugir a todo custo disso.

Nós vemos isso acontecer desde os primórdios da humanidade. Desde Adão, o homem sempre quer se esconder de Deus quando sabe que o desagradou. Ele sente profunda vergonha disto, e se acostumou tanto a sentir esta vergonha que se tornou algo inconsciente (Gênesis 3.8, eu não vou entrar nos méritos se a historia de Adão foi literal ou não, mas mesmo que não seja ela possui muitas lições para nos ensinar). Sabemos, entretanto, que a verdadeira virtude não está em fugir dos nossos erros e responsabilidades, mas abandonar o estado corrupto e desprezível em que temos vivido, jogar fora as nossas máscaras e buscar a Deus de todo o coração. Ele nos promete perdão e alívio de nossas cargas, basta se arrepender e busca-lo com todo o coração (Jeremias 29.13 e Mateus 11.28).

Se você já encontrou a resposta da pergunta "Deus existe?" em seu coração (saiba porque esta é a pergunta mais importante da humanidade e porque é relevante se ele existe ou não aqui, e saiba como encontrar respostas aqui), o próximo passo é reconhecer o estado em que você tem vivido e tudo que você em sua vida que foi contra os padrões morais estabelecidos pelo Criador, que no fundo todos sabemos quais são. Só depois de reconhecer podemos nos arrepender, então seremos capazes de experimentar Deus de uma maneira que só podemos saber como é pela própria experiência. Você está disposto a isso hoje?

Abraços, Paz de Cristo.

7 comentários:

  1. Gostei do site! Parabéns, eu também já pensei assim, acho que o ateu não quer ter consequências das coisas erradas que ele faz (ou fez). :/

    ResponderExcluir
  2. "Eu acho que ninguém consegue suportar a culpa, a dor e a responsabilidade de seus erros por si mesmos. A solução mais fácil e rápida destes casos é simples fingir que essa culpa não existe."

    Puxa. Eu é que sou responsável pela peste bubónica, pelos terremotos e por deus ter criado o homem como um predador com instintos agressivos ?

    Mas o que é que eu fiz ?

    Torci o braço ao vosso deus e dei-lhe chapada até ele aceitar, criar o mal que existe no mundo ?

    Puxa como sou mau.

    Entretanto, se vocês acham que o homem é assim tão poderoso, estão implicítamente a dizer que é mais poderoso que deus.

    Mas que grande confusão vai nessas cabecinhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que você fez eu não sei, Pedro, mas todos nós erramos uma vez ou outra. Nossa própria consciência nos acusa vez ou outra.

      A maior parte do mal que existe na Terra é responsabilidade puramente do ser humano. A outra parte é punição a esse mal como forma de justiça, da parte de Deus. Tem diferença entre esses dois tipos de mal, eu já falei sobre isso em um outro comentário.

      Excluir
    2. Então deus afoga crianças de peito em tsunamis, ou mata-as com cancro, para as "castigar" ?

      Mas que mais provas são precisas da falsidade e loucura das vossas especulações ?

      Excluir
  3. "os padrões morais estabelecidos pelo Criador, que no fundo todos sabemos quais são."

    Sabemos ?

    Segundo a Bíblia, deus ora ordena o amor ao próximo, ora ordena assassinatos de familiares e massacres de povos inteiros.

    A contradição é tão grande que um deus que fizesse estas coisas provaria NÃO ter padrões morais de espécie alguma,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amar ao próximo foi um mandamento dado ao povo hebreu como um todo (Lv 19.18) e depois repetido por Jesus (Mt 22.39), significando que ele se aplica a toda à humanidade. Todos devemos amar os outros como a nós mesmos.

      Ordenar assassinato de familiares - esse mandamento nunca foi dado da mesma forma que o anterior. Não existe texto na Bíblia que mande todo mundo assassinar um parente. Este mandamento foi dado exclusivamente a Abraão, para sacrificar o seu filho. E Deus mandou isso apenas para testar a fé de Abraão. Não que Deus precisasse testar, mas o próprio Abraão precisava do efeito que a passagem nesse teste iria provocar nele. Além disso a Bíblia deixa claro que Abraão só se dispôs a obedecer porque cria que Deus poderia ressuscitar o filho dele (Hb 11.17-19). E Deus não deixou Abraão obedecer, quando viu que Abraão realmente acreditava no poder de Deus, o teste foi concluído e seu filho não sofreu nenhum dano.

      Massacrar povos inteiros - De novo, esse mandamento não foi geral, mas foi específico. E eu tenho um texto onde analiso esse episódio na Bíblia, no meu outro blog:

      http://www.respostasaoateismo.com/2012/07/genocidios-e-atrocidades-na-biblia.html

      Olha, eu respondi a essa curiosidade apenas como um bônus, mas este não é o assunto deste blog. Se quiser saber mais sobre a Bíblia, me contacte por e-mail, ou pergunte no outro blog.

      Excluir
  4. Caro David.

    Portanto deus só manda assassinar parentes e povos inteiros em casos específicos.

    Numa lógica de caso a caso, consoante lhe apetece.

    Ena pá. que bom que ele é !!!!!!

    Estou comovido com tanta bondade do seu deus.


    "Amar ao próximo foi um mandamento dado ao povo hebreu como um todo (Lv 19.18) e depois repetido por Jesus (Mt 22.39), significando que ele se aplica a toda à humanidade. Todos devemos amar os outros como a nós mesmos."

    Tendo em vista o tema bíblico de que estamos a falar, os massacres perpretados ou ordenados por deus, é de facto uma contradição grotesca e mosntruosa.

    Só isto basta para provar que toda a vossa doutrina é completamente falsa.

    Mas ok, vou passar pro outro blog.

    ResponderExcluir